segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

O Mistério das Palavras que Faltam na Inscrição da Parede de Pedra das Nações Unidas (Nova York)


Segundo a enciclopédia virtual Wikipédia:

"A Organização das Nações Unidas (ONU) é uma organização internacional cujo objetivo declarado é facilitar a cooperação em direito internacional, segurança internacional, desenvolvimento econômico, progresso social e questões de direitos humanos. A ONU foi fundada em 1945 para substituir a Liga das Nações, para parar guerras entre as nações e para fornecer uma plataforma para o diálogo ".

Seu lema é "Nós, os Povos". Hoje é composta de 192 países-membros, com grande diversidade de crenças religiosas e ideologias culturais que devem ser respeitadas por todos. Seu objetivo de paz e desarmamento mundial está gravado na parede de pedra de frente para ele, que cita (apenas uma parte) de um bem conhecido versículo bíblico, de Isaías 2:4.

"Eles converterão as suas espadas em arados e suas lanças em foices; uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra."



No entanto, seria este "nobre objetivo" de "paz universal" possível de ser alcançado, sem que se considere as palavras que foram omitidas?

Tais palavras omitidas podem  ser observadas na primeira parte do versículo Is. 2:4 e são os que aqui colocamos em negrito: "E Ele [o Senhor, Deus, Jeová, por meio do seu Filho Cristo Jesus] julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos, e estes converterão as suas espadas em arados e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra." (Isaías 2:4).

Sabe o que significa completar a inscrição na parede de pedra da ONU? Significa afirmar que não será da força e do desejo dos próprios seres humanos que nascerá a verdadeira paz que é possível! Isso mesmo, os homens não cumprirão esse nobre objetivo, sozinhos, pela sua própria vontade.

Pois então, é por isso que o antigo profeta escreveu, no mesmo livro, a Bíblia: "Eu sei, ó Senhor, que não é do homem o seu caminho; nem do homem que caminha o dirigir os seus passos." Jeremias 10:23

Sabemos que é, de certa forma, natural, que as pessoas creiam na sua própria capacidade criadora, afinal, somos especiais criaturas (e filhos) de um Deus criador. Todavia, devemos manter ciência das nossas muitas limitações, a fim de não perdermos o bom juízo.

O próprio Senhor Jesus nos alertou: "Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer." (João 15:5)

A ONU fez uso de um versículo das Escrituras Sagradas judaico-cristãs, todavia, ao omitir as palavras iniciais daquele versículo, eles, de fato, negaram o poder de Deus e agiram de modo semelhante ao descrito pelo Apóstolo Paulo ao seu discípulo Timóteo, quando o alertava sobre um tipo de caráter humano que se tornaria proeminente nos últimos dias: "Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela". 2 Timóteo 3:5. Aqui, também,  não podemos omitir as palavras que completam o versículo: "Destes afasta-te." 

Será somente pelo efetivo exercício do poder de Deus, que a profecia de Isaías 2:4 poderá se cumprir e, para isso, Jeová já proveu um futuro governante, um Filho a quem ele atribuiu todo poder no céu e na Terra, para ser o Rei vindouro para toda a humanidade.

Deste modo, a paz profetizada por Isaías será desfrutada, apenas, por aqueles que se arrependem e passam a colocar a sua total confiança no Filho de Deus, eles são incorporados pelo Seu Espírito de vida em um único grupo multinacional chamado "o corpo", do qual Cristo Jesus é o seu único Chefe. É com este corpo, quando concluído, que o Senhor voltará para governar com "paz na terra, boa vontade para com os homens."

Além do mais, é preciso que, antes, Deus julgue entre as nações e repreenda os povos, para que, depois, sobrevenha tal desejada paz.

Todavia, o conselho primeiro de Deus para as nações impenitentes de hoje em dia não é o desarmamento, mas, ao invés disso, o armamento.

Porque há um tempo de julgamento em todo o mundo que vem para remover o pecador rebelde, para que assim a justiça possa reinar plenamente. Joel 3:9-10 profetiza: "Proclamai isto entre os gentios; preparai a guerra, suscitai os fortes; cheguem-se, subam todos os homens de guerra. Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte." (Joel 3:9-10)

O conselho do Senhor para com os reis (líderes) é no Salmo 2:10-12: "Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra. Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam."

Enquanto a nível internacional a ONU deixou de fora a "Ele", não faça o mesmo em um nível pessoal, em sua própria vida - pois não há paz sem Deus e o seu Filho. Como tem sido dito, "Conhecê-Lo é conhecer a paz - sem ele, não há paz". 

Existem 4 tipos de paz que só podem vir do Senhor Deus vivo:

Paz Política - "Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, ..." (Isaías 9:7) 

Paz de Salvação - "Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo," (Romanos 5:1)

Paz Social - "Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade," (Efésios 2:14) 

Paz Pessoal - "e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus." (Filipenses 4:7)

Veja também:

Amor, enquanto aguardamos o Reino de Deus na Terra

Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
 
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.