sábado, 22 de maio de 2010

Mulheres Ucranianas: Ilusões e Desilusões!

Mais Mulheres Ucranianas Procuram Casamento no Exterior por Causa da Crise:

A instabilidade da vida e a recessão econômica fazem mais e mais mulheres da Ucrânia procurar os casamentos no exterior. Esta informação está sendo fornecida pelas diversas agências de serviços de casamento e namoro com estrangeiros presentes em todas as grandes cidades na Ucrânia para a mídia de comunicação. Confirma-se também pelas estatísticas de órgãos estaduais locais em toda a Ucrânia.

No período do ano de 2009, o número de indivíduos do sexo masculino, procedentes da América do Norte, do Reino Unido e da U.E. que visitaram à Ucrânia, com a alegada finalidade de casamento e namoro, quase dobrou (em comparação ao período de 2008), e a tendência continua a crescer.

Por sua vez, as mulheres russo-ucranianas, que por força de informações vinculadas pelas mídia, estão sendo tradicionalmente cada vez mais conhecidas internacionalmente como “mulheres belas e ótimas mães”, estão cada vez mais interessadas em casar-se com os homens estrangeiros, principalmente do Ocidente, por acreditarem que estes casamentos fornecem melhores garantias de segurança, proteção e vida a segura e vida confortável.

Muitas mulheres estão perdendo seus empregos na Ucrânia, nos dias de hoje. A falta de estabilidade e a situação financeira difícil impulsionam as mulheres a se tornarem mais ativas na tomada de decisões sobre suas vidas pessoais.

O grupo populacional mais afetado e o qual é praticamente levado a entrar em pânico hoje em dia é o de mães solteiras, que estão desesperadamente tentando criar segurança e estilo de vida confortável para si e seus filhos. Mulheres na Ucrânia aparentemente preferem criar suas famílias sob a fórmula: “Relações Felizes + Estabilidade = Boa Família”, esperando que o seu relacionamento com um homem estrangeiro do mundo ocidental irá garantir que tal fórmula funcione.

Nesta situação, agências namoro e casamento da Ucrânia antecipam um grande fluxo de perfis de mulheres em seus catálogos de mulheres este ano. Como os serviços são 100% gratuitos para as mulheres na maioria das empresas de agenciamento de namoros e casamentos, há pouco risco para as noivas russo-ucranianas encantadoras de se juntar às listas catálogos.

Um representante de um serviço americano de encontros em Kiev, disse em sua entrevista ao semanário ucraniano Podrobnosti: "Mesmo se uma reunião com uma senhora não resultar em qualquer relacionamento, a mulher, pelo menos, pode passar uma noite em um ambiente agradável e gozar de um grande jantar em um bom restaurante com a seu encontro estrangeiro de apenas uma noite. Em tempo de crise, só isso já lhe trará alguma satisfação. Contudo, para o homem, a reunião na agência, além do jantar, vai custar-lhe duzentos ou trezentos dólares". Esta parece ser uma observação completamente cínica, embora, em muitos casos, tal situação acabe mesmo sendo a mais pura e lamentável realidade.

Muitas mulheres ucranianas confessam que se dariam por contentes por passar três ou quatro noites por semana em restaurantes de jantar com homens diferentes, a ver o mesmo e único homem a seu lado todas as noites.

Ao mesmo tempo, há mais e mais mulheres hoje na Ucrânia, cujo único objetivo aparente é viver uma vida simples, confortável e estável, segundo elas, e que hoje começam a considerar o dinheiro como uma coisa secundária na vida. Conseguir uma relação estável está se tornando uma tarefa número um para muiras delas. Uma relação estável, por si só, pode trazer uma sensação de alívio e de estabilidade, dizem.

Segundo a imprensa local em jornais ucranianos, alguns visitantes estrangeiros têm se beneficiado da situação. Alguns deles vêm para a Ucrânia com o propósito real de casamento, outros visitam a Ucrânia por curiosidade, para ver com seus próprios olhos, se as mulheres ucranianas são realmente tão atraentes como se propaga pela mídia, e testar quão boas são as chances de encontrar uma esposa ou de se tornar um amigo na vida de uma mulher bonita, charmosa e feminina, a qual pode ser até 15 ou 20 anos mais jovem, mas muito educada e inteligente. Isso soa como um milagre? Provavelmente não, mas você terá que visitar a Ucrânia para fazer a sua opinião pessoal.

Segundo a revista Korrespondent (de Março 2008), milhares de mulheres ucranianas deixam o seu país com visto de noiva para se casar com homens estrangeiros a cada ano. Os relatórios do Ministério da Justiça da Ucrânia mostram que o número de casamentos registrados na Ucrânia durante os últimos quatro anos vem diminuindo. Este número é apenas um quinto de todos os casamentos que estão registrados entre homens estrangeiros e mulheres ucranianas, porque a maioria das noivas ucranianas prefere viajar para o país de seu homem para ter o casamento registrado lá.

Segundo as estatísticas anuais do Estado anunciado em relatório pelo ministério da Justiça da Ucrânia, tanto o número de casamentos e quanto o de divórcios na Ucrânia diminuiu em 2008, em comparação com o ano anterior. Em 2008, os cartórios de registro de casamento registraram 321.992 casamentos, o que é quase 25% menos que em 2007.

O número de divórcios também diminuiu, de quase 178 mil em 2007 para 166.836 em 2008, conforme anunciado pelo serviço de imprensa do Ministério da Justiça. A razão entre casamentos e divórcios varia nas diferentes regiões da Ucrânia, variando de 1 divórcio para cada 2 casamentos, no melhor caso, até 2 divórcios para cada 3 casamentos, no pior caso. Esta razão entre divórcios e casamentos na Ucrânia está também indiretamente ligada ao estilo de vida e ao padrão de vida dos cidadãos de cada região: regiões que são mais agrícola e rural, ainda carregam tradições ao velho estilo de vida em casas particulares, de ter uma família estável, e de prática de trabalhos manuais e de cultivo da terra, onde cada membro da família é necessário como um contribuinte para o bem-estar familiar, essa relação é maior.

Nas regiões industriais e mais urbanas, onde a maioria das pessoas está concentrada em vários milhões nas cidades, onde as famílias tendem a viver em prédios de vários andares, essa relação é menor. Por causa do baixo nível de vida, comprar um imóvel e até mesmo alugar casas é praticamente impossível para a maioria dos cidadãos. Isso pode influenciar as decisões das pessoas sobre casamentos e divórcios.

Ao mesmo tempo, a velha tradição de viver sob o mesmo teto com os pais, filhos e netos, quando três ou quatro gerações da família vivem em uma casa de 2 ou 3 quartos, pode tornar-se um forte fator causandor de divórcios entre os casais ucranianos.

Os estilos de vida tradicionais estão sendo influenciados por tendências inovadoras da vida no século 21 e pelas condições de vida relacionadas com a história recente da Ucrânia e suas crises resultantes.


Um paraíso do turismo sexual:

Cerca de vinte milhões de pessoas visitam a Ucrânia por ano. A capital Kiev é um destino popular. Infelizmente, uma das principais atrações turísticas é o sexo pago. Quem visita as grandes cidades dá Ucrânia atualmente fica com a impressão de que a prostituição lá é legalizada, devido ao grande número que pode ser observado de garotas de programa lindas, vestindo apenas minissaia, mini-blusas, maquiagem e saltos provocantes que vão às ruas e circulam livremente pelos hoteis, mas de fato ela não é. Por anos, a Ucrânia tem sido uma fonte de mulheres para o mercado do sexo na Europa e com as mudanças de regra de visto, a Ucrânia, além de exportar prostitutas, está atualmente importando clientes de garotas de programa.

O problema está muito mais grave agora com a crise econômica com desemprego 50% maior do que em anos anteriores. O ministro Yuriy Lutsenko recentemente declarou em rede nacional que o país está se tornando um paraíso para o turismo sexual.

Com a moeda desvalorizada e regime de fronteiras sem necessidade de visto para norte americanos e europeus desde 2005, os hotéis locais se transformaram em bordéis que facilitam seus hóspedes a encontrar as prostitutas. Em 2009, dois gerentes de hotéis de elite foram presos por exploração sexual.

Para quem pensa que não há maiores problemas com esta situação, um alerta: assim como em outros países, também na Ucrânia, e aparentemente até em um grau mais elevado do que a média das ocorrências mundo afora, exploração de menores freqüentemente anda de mãos dadas com a prostituição adulta.

Para Irina Konchenkova, presidente da ONG School of Equal Opportunities, 30% das prostitutas estão na faixa etária entre 11 a 17 anos. Além desse polêmico assunto, existe um outro mais sutil: ao invés de procurar diretamente uma prostituta, o turista vai para bares e locais de baladas seduzir garotas locais pagando bebidas e prometendo mundos e fundos, com a finalidade de a levar para a cama facilmente.

O impacto das tecnologias da informação no tráfico de sexo é objeto da pesquisa de Donna Hughes, em Pimps and Predators on the Internet, que conta como o colapso da União Soviética implicou em desemprego em massa de milhões de mulheres russas e ucranianas, que ganhavam metade do salário de homens.

Konchenkova comenta como na Ucrânia existem adolescentes que sonham com o estilo de vida de luxúria, e que ao mesmo tempo tiram notas baixas na escola. Para ela, é essencial que exista uma mudança dessa mentalidade sonhadora para que ocorra a potencialização necessária para prevenir a prostituição.

Em Entrevista, a Anna Hutsol, que é a líder da entidade FEMEN, um grupo que busca criar condições mais favoráveis para jovens mulheres se unirem a um grupo social com a idéia geral de suporte mútuo e responsabilidade social declara:

“Desde 2005, quando a Ucrânia passou a dar vistos gratuitos de entrada no país, o fluxo de turistas aumentou. E com eles, vieram também os turistas sexuais. A Ucrânia ficou com imagem de país de sexo fácil e repleto de prostitutas: primeiro, a Ucrânia é conhecida pelas suas belas mulheres. Segundo, é fato que 23% das prostitutas na Europa são ucranianas. A indústria do sexo usa técnicas de propaganda para ampliar esse efeito a seu favor. Pobreza, baixo índice de educação, aplicação inadequada da legislação e falta de apoio governamental para temas social, combinados com belas mulheres e cultura patriarcal. São todos fatores que podem transformar um país no paraíso do turismo sexual e prostituição.”

Fontes de referências:

More Ukrainian Women Seek Marriage Abroad Because Of the Crisis

Marriage and Divorce Statistics Going Down In Ukraine

“Belas, mas não prostitutas”: entrevista com Anna Hutsol sobre turismo sexual na Ucrânia
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
 
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.