terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Despertando o Amor de Uma Mulher!


Eu já não podia mais continuar enganando a mim mesmo, perpetuando me em ser ridículo. Aprender dói mas, é inevitável aos sobreviventes ... e eu sobrevivi e aprendi!

Todo homem pertence a Deus e, dessa forma, ele sempre terá uma ligação com Ele, gostemos nós homens ou não. Isso é inexorável e, em vão lutamos nós homens contra isso.

Todavia, mais feliz é o homem que larga a mão de ser tolo, em lutar contra aquilo que lhe é invencível e passa a dar o devido lugar ao seu Deus, no trono do seu coração.

Este se torna "homem verdadeiro", daquele que não se preocupa mais em mostrar-se como um "homem de sucesso", mas sim, daquele que age de um modo que o faz tornar-se um "homem de valor" para Deus.

Este homem evitará, de modo peculiar, a covardia de despertar o amor de uma mulher, sem que ele tenha a real intenção de amá-la, e há que se entender que ele assim o fará, não pelos méritos dela, nem mesmo pelos méritos dele mas, sim, pela graça da natureza da sua ligação com o seu Deus, que assim bem o requer dele.

Quando vem a hora de um amor entre homem e mulher acontecer, tal homem será, sim, fiel a esse amor e, não por outros motivos, mas pelo mesmo, pois isso é, também, coisa que só Deus pode fazer, a saber: um homem ser, continuamente, fiel em uma relação conjugal.

O homem verdadeiro é cônscio e sabe que, se for por por si só, pela sua própria sabedoria, ele falharia na sua fidelidade, ante os desvios provocativos que há no mundo, notórios e incontáveis como são as areias de uma praia, ao longo de sua vida.

Sobretudo, se de fato eu sou homem verdadeiro, eu não devo simular afeição, nem tão pouco transformar o amor numa brincadeira, pois, no meio de tanta aridez que ha no mundo, ele continua sendo perene como a relva. O amor conjugal é coisa de Deus, coisa que a sabedoria do mundo despreza, quanto mais progredimos na história humana.

A despeito de todo conhecimento científico incipiente e de toda filosofia humana deturpada, sem Deus, somos todos, homens e mulheres, gatunos e insipientes, meros animais que apesar de ter, não faz bom uso da razão, vivendo como que páginas descartáveis dos folhetins da vida.

Por isso, mulher, se você quer mesmo ser amada, e não apenas sentir-se usada em seus relacionamentos, desconfie do homem que diz: "Eu te amo mais que tudo!". Por que o homem que não puder amar a Deus acima de tudo, também não atingirá ser fiel em amor algum.

Além do mais, quando o homem verdadeiro é se vê confrontado com um "falso amor" pelo caminho da sua vida, ele não cairá nas ciladas bem camufladas dessas circunstâncias, como um "homem fraco" inevitavelmente, acaba por cair. E aquele que Deus faz sábio para com este assunto, sabe com que frequência isso se apresenta perante ele.

Antes, diante de um relacionamento amoroso falso, aonde, invariavelmente, tratamos como prioridade alguém que nos trata apenas como uma mera opção, o homem verdadeiro será rápido em desmascarar incoerências entre palavras e atitudes! Sem medo, dúvida ou culpa, saberá enxergar isso e responder com a devida pratica do desapego emocional afetivo sempre que for necessário.

Tal qual a maioria das mulheres néscias, que procuram o "homem gostosão" e e encontra  cafajeste - e não conhece o homem maduro, inteligente e verdadeiro, e perdem o tempo da sua formosura atras de relacionamentos vãos ...

Também os homens fracos, que não conhecem a Deus, procuram por sexo vulgar em quantidade e, não por qualidade nos seus relacionamentos e acaba entrando em ciclos recorrentes de relacionamentos com mulheres vadias. Perdem o tempo do seu vigor, quase sempre também os seus bens mais preciosos e tornasse permanentemente infeliz por isso, ainda que mantenham estampado em seus rostos um falso sorriso de sucesso, bem a moda do mundo.

"Vocês não sabem que aquele que se une a uma prostituta é um corpo com ela? Pois, como está escrito: "Os dois serão uma só carne". Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele." (1 Coríntios 6:16-17)

Tanto o homem, quanto a mulher, verdadeiros, que se tornaram sábios pela sabedoria que vem do alto, sabem que é tolice entrar em um relacionamento esperando "mudar o outro". Somente podemos mudar a nós mesmos, aos outros só podemos amar. Só o Espírito de Deus é que realmente pode muda o coração de um ser humano.

Se você conheceu um parceiro que é "problema", lembre-se que, nestes casos, muitas vezes, não ajudar já pode ser de grande ajuda para quem não quer ser ajudado, pois é ai que Deus pode começar a agir na vida dele.

Você pode até entrar em campanha com Deus e buscar que Deus mude o coração daquele seu parceiro mas, nada garante que Ele o fará apenas para te agradar, muito menos se você barganhar com Ele. Ele é Deus soberano e, no trato com Ele cada um tem o seu tempo e Deus está no controle de tudo, o tempo todo.

Eu procuro me lembrar, sempre, que eu não posso exigir o amor de ninguém e, que posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência para que Deus na minha vida faça o resto. O amor conjugal é um jogo perdido sem Deus.

"Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas.

As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam." (Cânticos 8:6-7)

O grande rei Salomão teve algo em torno 700 mulheres, entre esposas e concubinas mas, mesmo ele que dantes era o mais sábio dentre os homens, não conseguiu se satisfazer e ser feliz com isso. Por começar a desprezar o temor a Deus, Deus permitiu que o coração de Salomão viesse a se apaixonar verdadeiramente e passasse a amar uma única mulher como nunca amara a nenhuma outra. 

Todo o cenário transparecia de modo a fazer crer que a vida de Salomão caminhava, enfim, para a verdadeira felicidade. Todavia, porquanto Salomão havia permitido que seu reino começasse a se desviar da adoração verdadeira a Deus, justamente através das suas muitas mulheres, o Senhor por seu turno permitiu que aquele relacionamento tivesse um fim.

A belíssima, inteligente e bronzeada rainha de Sabá acabou por ir-se embora, de volta a sua terra e, sabe-se bem, que Salomão nunca mais foi satisfatoriamente feliz e, mesmo em seu último suspiro de vida, infelizmente, ele pode contemplar  a desgraça de que toda a glória que ele construíra, poderia vir a se perder ruinosamente, nas mãos de seu filho, um herdeiro que ele não soube educar, enquanto buscava por prazeres vãos.

Triste fim, mesmo para os grandes, quando deixam de amar e temer a Deus. Por fim, em seus provérbios, o próprio rei reconhece: "Quem encontra uma esposa encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor." (Provérbios 18:22). Também no livro de Eclesiástico (Bíblia católica) entramos algo precioso à sabedoria:

"Feliz o homem que tem uma boa mulher, pois, se multiplicará o número dos seus anos. A mulher forte faz a alegria do seu marido, e derramará paz nos anos de sua vida.  É um bom quinhão uma mulher bondosa; no quinhão daqueles que temem a Deus, ela será dada a um homem pelas suas boas ações. Rico ou pobre, o seu marido tem o coração satisfeito, E seu rosto reflete alegria em todo o tempo."

As vezes as maldades cometidas dentro de um relacionamento já são tantas que o mal acaba por prevalecer e, por fim acabam sendo maldades reciprocas, não se vendo mais razão em ambas as partes. Fica patente que não há benção de Deus nisso.

Se for pra isso acabar ocorrendo, muito antes que isso ocorra, livre-se disso.  "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" (2 Coríntios 6:14)

Quando alguém que crê em Deus, se associa com alguém que não crê, invariavelmente, aquele que não crê tomará a crença do outro como demonstração de fraqueza e não de fortaleza. Assim, muito provavelmente, tenderá a tirar proveito da "suposta fraqueza" e, muito provavelmente, Deus permitirá que ela obtenha exito nisso, pelo seguinte motivo:

Nem era para o crente estar ali, naquele relacionamento que está mas, como está, infelizmente já negou o conselho de Deus ""Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis"). Então vem a potestade do mal, o inimigo da alma do crente que não perderá a oportunidade e reivindica a provação do crente que, por justiça, Deus concede.

Não deveria estar ali, mas está, isso dá margem a queda do crente, de modo a fazer com que ele fique pensando que Deus não mais o ampara e não o ama de verdade. Se isso ocorre, diabo se alegra pois, logou êxito. Assim, entra-se naquela fase em que "maldades cometidas dentro de um relacionamento já são tantas que ninguém mais tem razão".

Se você é realmente vítima de grande injustiça em um relacionamento mas ainda não se casou e nem tem filhos, ore a Deus determinando que não existe mesmo nenhuma dívida de satisfação mais a ser dada, então vire as costas, saia e não olhe para traz, porque os que estão casados, principalmente os que têm filhos, hão que suportar isso como cruz.

Lembre-se que não existem danos irreparáveis aos que creem e Deus será contigo. “Quem quer sair de uma história, cala-se e vai embora. Porque as grandes dores são mudas. E decisões definitivas não se demoram em explicações.” (Marla Queiroz).

Se você não entendeu bem essa mensagem, continua voltando, que mais lhe será revelado!
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
 
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.