segunda-feira, 24 de maio de 2010

Expansão do Conhecimento – PNL e os “Mapas Mentais”:

Um mapa mental (ou mapa da mente) é como denominamos um tipo de diagrama, inicialmente desenvolvido pelo autor e consultor educacional inglês Tony Buzan, que vem sendo cada vez mais utilizado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual; para a compreensão e solução de problemas; na memorização e no aprendizado; na criação de manuais, livros e palestras; como ferramenta de brainstorming (tempestade de idéias); e no auxílio da gestão estratégica de uma empresa ou negócio.

Os mapas mentais funcionam exatamente como funciona o cérebro, deste modo, eles são essencialmente diagramas hierárquicos (em árvore) que representam informações e conhecimentos nas suas várias formas:

• textos, ilustrações ou ambas;
• sintética;
• organizada e nivelada.

Os desenhos feitos em um mapa mental partem de um único centro (tópico central), a partir do qual são irradiadas as informações relacionadas, assim, um mapa mental é formado por tópicos, ramos e relações, organizados em níveis a partir de um tópico ou idéia central, e é por isto que a forma de pensar associada a essa estrutura é chamada de “pensamento radiante”. Um tópico pode ser representado por uma palavra (texto), uma expressão (sintética), uma imagem (ilustração) ou por uma combinação dessas formas.

Muito embora sequer percebamos isso, o simples pensar em uma ação a ser realizada, por mais elementar que seja tal ação, é uma atividade que gera um mapa mental virtual, internamente, inerente ao próprio pensamento. Por falta de conhecimento ou de prática, ainda hoje, poucas pessoas têm a habilidade de “enxergar” a formação de mapas mentais durante seus processos racionais. O interessante é que a prática da elaboração de mapas mentais “visíveis” podem ajudar uma pessoa a ter uma melhor compreensão dos seus próprios processos racionais.

Mapas mentais visíveis podem ser elaborados por meio de canetas coloridas sobre folhas de papel ou usando um programa de computador dedicado.

Os mapas mentais visíveis podem ser aplicados como ferramenta para facilitar qualquer tarefa cotidiana, atividade profissional, ou lazer, de modo individual ou em grupo para planejar qualquer tipo de evento. Trata-se de um método para planejamento e registro gráfico cada vez mais usado em todas as áreas de conhecimento humano.

Um dos possíveis usos de mapas mentais é para registrar afazeres cotidianos. Uma primeira abordagem normalmente é registrar todas as coisas para fazer em um só mapa mental.

Vamos a um exemplo bem simples, a elaboração de uma agenda de atividades de rotina, expressa na forma de um diagrama de mapa mental, que eu emprestei de uma amiga minha, muito esperta, que o adotou como ferramenta para facilitar o seu atribulado cotidiano, para suas atividade em casa, já que, além de cuidar dos assuntos da casa e da família, ela ainda trabalha também fora de casa:


Nessa primeira abordagem registramos todas as coisas para fazer em um só mapa mental. Isso pode apresentar um potencial inconveniente: o mapa mental pode ficar muito grande e de manutenção e manuseio mais difíceis.

Uma forma de lidar com isso se baseia no fato de que, dentre os afazeres, há alguns constantes e repetitivos, o que chamamos de rotina. Separando os afazeres estáveis dos dinâmicos, podemos elaborar um mapa mental para os primeiros e outro para os segundos. Assim, o mapa mental mais sujeito a alterações fica menor e mais tratável.

Às vezes você terá que fazer algo, mas ainda não decidiu o que será, como no caso de um aniversário. Assim, o conteúdo do mapa mental da rotina inclui também eventos.

Benefícios e Vantagens do Mapa Mental (um caminho da aprendizagem eficaz):

O uso de mapas mentais traz inúmeros benefícios para seus usuários. Conheça alguns deles:

Intelectuais:

• Desenvolve a busca e a percepção de múltiplos aspectos do um assunto ou situação;

• Facilita a memorização e a lembrança por serem organizados, por conter imagens e somente idéias essenciais;

• Desenvolve a habilidade de organizar conhecimentos, que é crítica face à quantidade deles com que muitas vezes temos que lidar;

• Facilita a aplicação do conhecimento, por serem uma representação mais próxima da que é utilizada mentalmente;

• Desenvolve a objetividade, filtrando idéias que não se encaixam no todo ou que não são essenciais;

• Estimula a visão de uma idéia em um contexto mais amplo, ao invés de isolada, proporcionando uma compreensão mais abrangente e equilibrada;

• Desenvolve igualmente a habilidade de síntese e de análise, incluindo a estruturação de tópicos em categorias;

• Fornece uma estrutura organizada para integração de novos conhecimentos;

• Fornecem uma estrutura para "o que falta saber", ou seja, as partes estruturais do mapa (variáveis) que ainda não tem conteúdo, definindo para a pessoa com precisão o que ela sabe e o que não sabe;

• Estimula a liberdade de pensamento e conseqüentemente a criatividade, porque o brainstorm, ou livre fluxo de idéias, é parte da cultura dos mapas mentais;

• Desenvolve a habilidade de pensar por relações, uma das bases do pensamento sistêmico.

Emocionais:

• Como decorrência, expande em geral na pessoa o grau de segurança e tranqüilidade, a auto-estima, autoconfiança e senso de capacidade, com conseqüente e natural aceitação de desafios maiores;

• Reduz ou eliminam o estresse causado por excesso de informação e de atividades, e pela sua desorganização;

• Mantém a pessoa no controle dos seus processos criativos e analíticos e de grandes quantidades de informação, com conseqüente maior previsibilidade dos resultados;

• Por ser visual e colorido e também atraente e desperta maior interesse, em particular dos mais jovens, tornando-os mais receptivos e cooperativos.

Materiais:

• Em geral, possibilita um aumento da produtividade e da competência;

• Significativa redução do tempo de planejamento, elaboração e revisão de tarefas escritas;

• Significativa redução do volume físico de papel relativo a notas e material de estudo;

• Significativa redução do tempo requerido para planejamento, elaboração e preparação de apresentações;

• Facilidade excepcional para reestruturar qualquer grupo de informações interligadas.

Efeito sobre as decisões:

• As decisões se tornam mais precisas e estáveis, pela consideração de mais aspectos e possibilidades;

• Maior flexibilidade, devido à visão mais ampla e completa de um assunto ou situação e à percepção de mais alternativas.

Benefícios para equipes, grupos e turmas:

• Treinamentos se tornam mais efetivos, seja pela boa estruturação do conteúdo, pela facilidade de estudo e revisão, seja pela melhor comunicação do instrutor;

• Facilita a coordenação dos integrantes por meio de uma melhor e mais fácil divisão de tarefas, dentro de uma visão global, aumentando a probabilidade de que as metas do grupo sejam atingidas;

• Facilita a comunicação em grupos, dando um foco de concordância ou divergência e colocando todas as contribuições em um mesmo contexto;

• Facilita o compartilhamento de conhecimento, pela distribuição de mapas mentais.
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
 
Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.